Ganhos do Animamundi

 

Olás!. Esse post foi escrito meio às pressas, já que eu não tive muito tempo para pesquisas e me dei conta que tinha de escrevê-lo e agendá-lo, ou meu dia ficaria vazio…

Por isso, pensando em um post rápido e interessante, lembrei de um curta que assisti no Animamundi de 2010, se não me engano. Gosto muito do Animamundi, acho o evento interessante, inteligente e interativo de uma maneira que crianças e adultos se divertem da mesma maneira. Aprecio muito quando alguma coisa é capaz de cativar pessoas de todos os tipos, idades etc..

Pois bem. Nesse animamundi, assisti à premiação e, dentre eles, o vídeo “Madagascar: carnet de voyage” (Madagascar: caderno de viagem) – do francêes Bastien Dubois -, eu achei particularmente incrível. Primeiro, pela extensa gama de técnicas de desenho utilizadas, bem como a gente faz com anotações de viagem, cada uma em um papel, com a caneta ou lápis que arranja, com muito tempo ou em dois minutos.

Eu havia acabado de voltar do meu mochilão de 2 meses e fracassara na tentativa de registrar as minhas experiências em desenhos. Confesso que essa arte eu não domino (e muito pouco faço para aperfeiçoá-la, confesso). Essa animação, nesse sentido, é muito feliz, tanto pela técnica quanto pelo roteiro e poesia. Para mim, ela é leve e densa ao mesmo tempo. Ela é quase como ler um livro de Guimarães Rosa, em que eu tantas vezes me vi rir e chorar no mesmo parágrafo 9sem exagero, foi assim a minha leitura de Manoelzão e Miguelin, mas essa é outra história). e a trilha é muito boa também.

Apreciem!

 

 

 

Anúncios

Mudando paradigmas da Educação

O meu post de hoje vai ser mais interativo. E, a partir daí, acredito que vai ser mais interessante. Pelo menos, foi o que eu achei quando eu vi o vídeo (veja logo abaixo) pela primeira vez.

Antes de mais nada, as apresentações: trata-se de uma palestra do educador Sir Ken Robinson, que fala sobre a importância da educação nos dias de hoje. Changing Education Paradigms, mais especificamente, discorre sobre a maneira em que ela é passada para praticamente todas as crianças e jovens do mundo. No entanto, tão interessante quanto a palestra em si, é a maneira como a organização RSA optou por transmiti-la.

Ao entrar no site da RSA, a primeira frase a aparecer é “Ideas and actions for a 21st century enlightenment”. Na minha opinião, a palestra de Robinson é uma ótima amostra de que esse é mesmo o objetivo da organização, trazer criatividade para o nosso modo de pensar e agir. Ao transformar uma “simples” palestra numa animação, cria-se um novo jeito de captar a atenção do espectador. Funcionou comigo, pelo menos.

Antes de mostrar o vídeo, queria compartilhar mais uma curiosidade: toda informação transmitida que memorizamos pode vir através de diversas formas, sendo a mais comum, a auditiva (lembre-se agora do seus professores falando qualquer coisa com a classe, vai ser útil ao assistir o vídeo). Porém, é comprovado que a “comunicação auditiva” é apenas 9% eficiente , no sentido de captar tal informação e levá-la para o cérebro. Já a “comunicação visual” tem um índice de 75% de eficiência. A combinação das duas, “audio-visual”, traz o índice de 84%. Ou seja, é exatamente isso que essa palestra animada nos traz.

Enfim, o vídeo!

Alguns trechos da palestra:

“The problem is they [os países] are trying to meet the future by doing what they did in the past. And on the way they are alienating millions of kids who don’t see any purpose in going to school. When we went to school we were kept there with the story, which is if you worked hard and did well and got a college degree you’d have a job. Our kids don’t believe that, and they are right not to by the way. You are better having a degree than not, but it’s not a guarantee anymore.”

“Divergent thinking isn’t the same thing as creativity. I define creativity as the process of having original ideas which have value. Divergent thinking isn’t a synonym, but it’s an essential capacity for creativity. It’s the ability to see lots of possible answers to a question. Lots of possible ways of interpreting a question.”

Eu posso dizer que esse vídeo é um bom exemplo do que Sir Ken Robinson quis dizer na sua palestra. Eu realmente aprendi alguma coisa ao vê-lo, qualitativamente falando, foi muito mais do que os anos de colégio que tive. Algo pra se pensar.

Para a transcrição completa: http://filmenglish.files.wordpress.com/2010/12/transcript-sir-ken-robinson.pdf

RSA: www.thersa.org