Um pouco de literatura

Hoje vou falar de economia política mundial. Mentira, mas eu achei que começando com uma piadinha, eu poderia lhe convencer a ler meu post.

Eu tinha outros temas para postar, mas ultimamente estou numa correria e fiquei sem tempo de preparar, então vou falar de dois livros que sempre recomendo para serem lidos.

 

O primeiro livro é de literatura, um amigo meu me recomendou (depois descobri que ele não o havia lido inteiro) e é muito bom. O romance conta a vida de algumas pessoas nos EUA após a II Guerra Mundial, mas com um detalhe: o Eixo (Alemanha, Itália e Japão) venceu a Guerra.

São diferentes personagens que acabam contando as diferentes faces do mundo. O livro é muito fácil de ser lido. Chama-se “O Homem do Castelo Alto” porque um dos personagens é um homem (que mora em um lugar que ele denomina de Castelo Alto) que escreveu um livro sobre um mundo onde os Aliados teriam vencido a Guerra. Vale muito a pena ser lido e o final é daqueles “O que é realidade?”, sabe? A mesma sensação que você teve ao ver Matrix.

                   O Homem do Castelo Alto

                   Philip K. Dick

                   Editora Aleph

 

 

 

 

Um dia, durante uma aula de paisagismo estávamos discutindo a importância dos campinhos de futebol. Imagens como esta não é incomum no nosso país:*

Enquanto as casas se amontoam e brigam por todo o espaço possível, o campinho de futebol é intocável, mas por quê? Único momento de lazer? Numa vida tão foda, é o momento que pelo menos 11 podem vencer? Confraternização entre todos? Eu não sei. Nossa discussão durou uns 30 minutos e foi a partir disso que a professora me sugeriu como leitura esse livro.

 

O livro é um relato de um jornalista americano (é legal ser americano, pois é um país sem influencias desse esporte, é como se fosse mais imparcial ou muito pelo contrário, talvez cheio de preconceitos? Não sei, tire sua própria conclusão) que viaja entre países e relata a relação do futebol com a sociedade local nesses novos tempos, principalmente com o fator da globalização.

Para os menos apaixonados pelo esporte, não é nem preciso ler o livro para saber que o futebol está presente na história.

Durante a ditadura na Espanha, o catalão era proibido de ser falado assim como qualquer outra característica cultural. Aí que entrou o futebol. Dentro do estádio, nos jogos do Barcelona, era o momento que eles encontravam sua cultura. Falavam, cantavam, gritavam e eram catalães de um modo que não podiam no dia-a-dia. Talvez você não ache interessante, mas eu acho isso incrível. E não para por aí, por mais fraco que seja o futebol irlandês, Celtic x Rangers é uma das maiores rivalidades do mundo, pois representa a eterna guerra entre católicos e protestantes no país.

Esses dois exemplos eu ilustro para mostrar como interessante é esse tema, sinceramente não sei se são relatados no livro, pois, admito, não o li até o final (foi um pouco antes de morar fora e não queria levar leituras em português comigo, não deu tempo de terminar). Mas vale a pena ler, saber que um esporte pode fazer parte de nossa cultura e história.

          Como o Futebol Explica o Mundo – Um olhar inesperado                    sobre a Globalização 
           Franklin Foer
           Editora Zahar
Anúncios

5 thoughts on “Um pouco de literatura

  1. Eu quero ler( um dia) esse livro pq ja fiquei pensando nisso. O pq que no Br é assim, será que é so pq pra se jogar bola so precisa de 2 havaianas, uma meia chega de terra? Vou ler!

    • Acho que também pelo fato de ser uma possibilidade de se dar bem na vida sabe, você consegue conquistar uma qualidade de vida sem ter uma estrutura inicial, o que é quase impossível em todos os outros meios (que exigem no mínimo, uma boa educação). Mas isso leva a uma grande discussão

  2. Nossa que legal esse primeiro livro! fiquei bastante interessado. Vou aroveitar que a Fe comprou “O homem do Castelo Alto” depois de ler seu post e vou pedir emprestado!

  3. Ta, não vou falar sobre os livros, apesar de ter achado muito interessante e tal. Achei incrivel esta foto que voce mostrou do campo de futebol. No meu antigo escritorio em que trabalhei, no caso o atual do Tiago hehe, nós participamos do concurso Renova SP e um dos aspectos que mais discutíamos era que tipo de intervenção em uma favela pode dar certo e faz com que as pessoas simplesmente não se apossem deste espaço. Falavamos muito dos espaços de urbanidade, agregados ou não aos locais do caminhar, percorrer ou de estar, de lazer. Este é um otimo exemplo deste tipo de situação de urbanidade em que todo se sentem um pouco donos deles, mas não tanto ao ponto de excluir o próximo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s